Login  Recuperar
Password
  19 de Junho de 2019
Estão utilizadores online Existem actualmente entidades no directório

Pode fazer o registo (grátis) do seu mail pessoal/ profissional e ter acesso privado, password e serviços personalizados, nos sites e redes sociais dos jornais. Terá uma assinatura digital de Grupo (gratuita), mas personalizada. Pretende registar-se?

Registar-se com o seu email pessoal/ profissional

(aguarde 5)
Siga a nossa página Facebook Siga a nossa página Google Plus Siga-nos no YouTube Siga-nos no Twitter Dispositivos móveis Assine a edição impressa
Alcobaça
Gravar em PDF    Imprimir    Enviar por email   Diminuir fonte   Aumentar fonte

Tribunal de Leiria condenou três pessoas pelo homicídio de José Noronha.

O coletivo de juízes do tribunal de Leiria condenou três pessoas a penas de prisão efetiva por crimes de homicídio e ocultação de cadáver de um empresário.

10-05-2019 | Paulo Alexandre

José Noronha, com 55 anos, foi encontrado enterrado no quintal da sua moradia em Alfeizerão, Alcobaça (2015) com a cara envolta em fita adesiva e braços e pernas presos com braçadeiras.
"Nem a um cão se faz isto", referiu o presidente do coletivo de juízes.
Uma das arguidas, Daniela Paulino, de 28 anos, que mantinha uma relação amorosa com a vítima, foi condenada a 13 anos e meio de prisão pela sua ligação ao homicídio e ocultação do cadáver, para além de crimes de falsificação de documentos e de falso depoimento.
O irmão, Nelson Paulino, recebeu a mesma pena.
Patrícia Martins, companheira de Nelson, foi condenada a 12 anos e quatro meses de prisão.
Embora admita que os indícios recolhidos na autópsia não tenham permitido clarificar com certezas a causa da morte, o coletivo de juízes classificou a versão apresentada pelos arguidos em tribunal, onde Nelson Paulino assumia total responsabilidade pelo "acidente" que conduziu à morte de José Noronha, como "explicações vãs" que "não mereceram credibilidade".
O advogado da família da vítima, Paulo Silva Ribeiro, disse ao CM que "se fez justiça" com a decisão tomada.
Já Filipe Estêvão Ferreira, representante legal de Patrícia Martins, anunciou a sua intenção de recorrer da decisão para o Tribunal da Relação de Coimbra.
Tags:
COMENTÁRIOS
Deverá efectuar Login ou fazer o Registo (Grátis) para poder comentar esta notícia.
pub
Ciência & Tecnologia

A carregar, por favor aguarde.
A Carregar

    Notícias Institucionais

    A carregar, por favor aguarde.
    A Carregar

      Foz do Arelho - Aluger Apartamento T1, completamente equipado, perto da paia.
      Casa de Férias - Nazaré Casa T2, a 50m da praia, para férias no mês de Agosto.
      Albifeira - TimeShare Apartamento com vista para o mar em regime de timeshare.
      CLASSIFICADOS XTUDO.PT
      Turismo de Coruche

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]

      [Titulo] [Titulo]

      [Inserir descrição]